Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste criará microcrédito a pequenos produtores

Home / Notícias / Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste criará microcrédito a pequenos produtores
Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste criará microcrédito a pequenos produtores

O superintendente Antônio Carlos Nantes, que dirige a Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), adiantou nesta quinta-feira, 19, que o órgão vai desenvolver junto ao Banco do Brasil (BB) uma ação de microcrédito para pequenos produtores e empresários, rurais e urbanos. Segundo ele, os empréstimos devem ser acertados com o BB até o final do ano, e poderão chegar a R$ 300 mil reais, tendo como suporte um fundo garantidor que já foi discutido com o banco estatal.

 

A afirmação foi feita durante audiência pública para comemorar os 28 anos da instituição que, dentre outras ações, gere o Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO), fundamental para o desenvolvimento da atividade produtiva e comercial do interior, o que consequentemente gera emprego e renda à população.

 

Na ocasião o senador Wellington Fagundes (PR/MT), destacou que a Sudeco teve um papel importante no desenvolvimento de Mato Grosso, em especial na região do Araguaia. Segundo ele, as atividades-chave da superintendência que mais devem ser valorizadas são as que dizem respeito ao cuidado com o pequeno produtor.

 

“Os recursos FCO geridos pela Sudeco devem ir, em grande parte, justamente para o pequeno produtor, que é quem produz a cesta básica e barateia a alimentação do cidadão. Estamos colocando mais recursos orçamentários para o ano que vem, exatamente para fazer com que nosso Estado, que é o maior produtor de soja, algodão e proteína animal, seja também um grande produtor e exportador dos hortifrutigranjeiros”, adiantou o senador republicano.

 

Para se ter uma ideia da importância do FCO, em 28 anos já foram contratados mais de R$ 65 bilhões para desenvolver quase 980 mil operações, gerando 8 milhões de empregos diretos. Somente Mato Grosso ficou com 31% de toda essa carga de benefícios, com a maioria dos atendimentos recebidos pelo setor rural (o que direciona e impulsiona a economia da região).

 

Em 2016, 83% dos recursos foram destinados a tomadores de pequeno porte, e quase 60% de todos os investimentos da Sudeco tiveram como foco esses pequenos empresários e produtores. Dentre as principais vantagens de contratar junto à Sudeco estão as taxas de juros diferenciadas, limites financiáveis altos e prazos para pagamento de carência.

 

Outro fundo importante gerido pela Sudeco é o FDCO (Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste), que tem como administradores, além do órgão, o Ministério da Integração e o Banco do Brasil. Criado há 4 anos, o fundo já possui números significativos no que diz respeito ao apoio à infraestrutura e aos serviços públicos, também com grande capacidade de geração de emprego e renda.

 

“Nos últimos anos foram contratados quase R$ 2 bilhões, alavancando R$ 11 bilhões em projetos”, comemorou Antônio Carlos. O superintendente alertou sobre os riscos de contingenciamento dos recursos do FDCO e pediu para que os parlamentares auxiliassem destinando emendas, para evitar o que ocorreu no orçamento deste ano, onde a Sudeco não teve “sequer um centavo” para ações próprias.