Senhor presidente,

Senhores senadores, senhoras senadoras!

Em primeiro lugar, quero dizer que sinto-me absolutamente honrado de participar desta solenidade do Congresso Nacional.

Sobretudo porque a Associação dos Juizes Federais do Brasil, a Ajufe, tem cumprido, ao longo de sua história, um papel fundamental
na defesa do fortalecimento do Poder Judiciário no Brasil.

E quando temos um Judiciário forte, temos mais celeridade nas decisões e nas demandas dos cidadãos. São requisitos essenciais para uma sociedade mais justa e democrática e que necessita poderes realmente republicanos.Para isso, senhoras e senhores, quer dizer que  comungo firmemente do ideal de uma Justiça independente.

Até porque, como pregou Alexander Hamilton, um dos pais da Constituição Norte-Americana, “a liberdade nada tem a temer de um Judiciário independente”.

Senhor presidente!

Sou testemunha da luta da AJUFE. No meu último mandato como deputado federal, tive a grata satisfação de presidir a Frente Parlamentar Mista para o Aperfeiçoamento da Justiça Brasileira, ocasião em que promovemos vários debates.

Cito aqui, como exemplo, o Seminário destinado a tratar das iniciativas premiadas pelo Inntituto Innovare, onde se debateram as práticas eficientes para a solução de problemas do Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e da Advocacia Pública, com a presença de renomados juristas.

Nessa luta na Frente Parlamentar, conseguimos avançar no debate também sobre a tão sonhada as eleições diretas do Judiciário, que resultou na propositura de uma Proposta de Emenda à Constituição 187-A, de 2012.

Lembro, senhoras e senhoras, que essa medida prevê eleições diretas para a direção dos Tribunais de 2º Grau. A PEC encontra-se aguardando aprovação em plenário da Câmara dos Deputados, já com pedidos de pauta para ser colocada na Ordem do Dia.

Parabenizo o meu colega senador Elmano Ferrer pela iniciativa de solicitar essa sessão especial para comemoração desta data. Da mesma forma, estendo meus cumprimentos ao deputado Paes Landim e a tantos outros parlamentares que,
como eu, crêm que um Judiciário forte, composto por juízes valorizados e preparados, e que,  verdadeiramente, entendem que dessa forma, estarão preservadas as garantias, coletivas e/ou individuais, inerentes a uma sociedade organizada.

A AJUFE faz por merecer. Afinal, é uma entidade que não se afasta dos seus ideais, na luta pelo aperfeiçoamento do Estado Democrático
de Direito e pela plena estrita observância
dos direitos humanos.

E digo mais!

Trata-se de uma entidade que age na defesados interesses da categoria junto a quaisquer órgãos ou entidades públicas ou privadas e que se dedica, com permanência, aos estudos e debates de questões institucionais e de interesse funcional dos magistrados.

Portanto, faz por merecer!

Por último – mas não em último –, na condição de senador da República por Mato Grosso, aproveito esta solenidade especial para reafirmar meu compromisso com os ideais democráticos, aqui bem ditos: por uma Justiça forte, célere e independente.

Meu muito obrigado!