O  senador Wellington Fagundes (PL) afirmou que esteve em reunião com o Ministério da Saúde e conversou com técnicos da Anvisa recentemente, e acredita que a vacina Sputnik V deve ser aprovada para uso no Brasil em breve. No entanto, o Ministério da Saúde já sinalizou que pagará por todas as doses e, assim, elas devem ir para o Programa Nacional de Imunização (PNI).

‘Já vi presidente dizendo que não ia comprar Coronavac’, diz Mauro sobre ‘desconfiança’ de Emanuel com Sputnik

‘Nós já discutimos isso hoje. Hoje, neste momento os técnicos da Anvisa estão na Rússia e um técnico de Mato Grosso está lá, acredito pela reunião que tivemos sexta-feira que a Anvisa deverá liberar a Sputnik’, contou o senador, nesta segunda-feira (19). Ainda segundo o senador, no entanto, as doses devem ir para a PNI.

‘É valido o esforço do governo do estado mas quem deverá pagar é o próprio Ministério da saúde, inclusive na nossa reunião da sexta-feira o representante do Ministério garantiu que todas essas vacinas seriam compradas e pagas pelo Ministério’, afirmou.

Caso o Governo Federal realmente pague pelas doses, todas elas irão para a PNI e serão divididas proporcionalmente entre os estados da federação, como acontece atualmente com a Coronavac e a AstraZeneca.

O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou no final de março a compra de 1,2 milhão de doses da Sputnik V, por meio do Consórcio de Estados da Amazônia. Na ocasião, o governador afirmou que preferia que o Governo do Estado pagasse pelas vacinas e, assim, todas elas viessem para MT. No total, o Consórcio negociou 37 milhões de doses da Sputnik V.

Além da questão do pagamento, ainda é necessário que a Anvisa aprove o uso da Sputnik V no Brasil. A previsão de Mauro era de que a primeira remessa de doses chegasse a Mato Grosso dia 20 de abril, ou seja, na próxima terça-feira. Até o momento, no entanto, a vacina não foi aprovada pelo órgão regulador.

Leave a Comment

Your email address will not be published.